Recursos de saúde mental acessíveis para mulheres negras

Encontrar um espaço seguro como uma pessoa negra pode ser difícil, mas aqui estão alguns recursos para ajudar a guiar você - eu, nós - na direção certa.

Fato: as vidas dos negros são importantes. Também é um fato? A saúde mental dos negros é importante, sempre e especialmente devido ao clima atual.

Entre os recentes assassinatos injustos de negros, o aumento das tensões raciais em todo o país e a pandemia global aparentemente perpétua (que, BTW, está afetando desproporcionalmente comunidade negra), a saúde mental negra é tão importante como sempre. (Relacionado: Como o racismo pode afetar sua saúde mental)

Agora, vamos deixar uma coisa bem clara: ser negro é uma bela experiência. Mas também pode ser insuportavelmente difícil para sua saúde mental. Os afro-americanos têm 10 por cento mais probabilidade de sofrer sofrimento psicológico sério, de acordo com a National Alliance on Mental Illness (NAMI), e estudos relacionam experiências vividas de racismo e trauma secundário (ou seja, exposição a vídeos de negros sendo mortos) e pós-traumático transtorno de estresse ou PTSD e outras condições crônicas de saúde graves. Mas apenas 30 por cento dos adultos afro-americanos com doença mental recebem tratamento a cada ano (em comparação com a média dos EUA de 43 por cento), de acordo com o NAMI.

Existem vários fatores que podem contribuir para que os negros não procurem nossa ajuda, incluindo (mas, infelizmente, não se limitando a) status socioeconômico e falta de acesso a cuidados de saúde de qualidade. Há também o fator importante da desconfiança da comunidade negra no sistema de saúde. O sistema de saúde tem uma longa história de fracassar com os negros, por usar involuntariamente corpos negros para pesquisas médicas (nos casos de Henrietta Lacks e o experimento da sífilis de Tuskegee), subtratar negros para dor e, muitas vezes, supermedicar e diagnosticar erroneamente quando eles procure atendimento médico mental.

Para sua sorte (eu, nós, mulheres negras em todos os lugares), existe uma grande variedade de organizações, profissionais e instituições que facilitam o acesso a atendimento de saúde mental de qualidade e culturalmente competente . Tudo que você precisa fazer é rolar para baixo.

Therapy for Black Girls

Se você nunca ouviu falar de Joy Harden Bradford, Ph.D. (também conhecido como Dr. Joy), é hora de você fazer. Ela não é apenas uma psicóloga especialista, mas Harden Bradford também é o fundador da Therapy for Black Girls, um espaço online dedicado a desestigmatizar os cuidados de saúde mental e ajudar as mulheres negras a encontrarem seu médico ideal. A organização faz isso por meio de muitos caminhos e plataformas diferentes, como o podcast Therapy for Black Girls - que foi o que me inspirou a buscar terapia sozinha. Os bate-papos de Harden Bradford com outras mulheres negras no campo da saúde mental me ajudaram a perceber que a terapia poderia ser usada como uma ferramenta para cuidar da minha saúde mental da mesma forma que cuido da minha saúde física. Desde minha apresentação à organização deles, Harden Bradford também construiu uma plataforma de mídia social de apoio e criou um diretório de praticantes negros. (Relacionado: Por que todos deveriam tentar a terapia pelo menos uma vez)

Terapia de descolonização

Jennifer Mullan, Psy.D., tem a missão de "descolonizar terapia "- para criar espaços seguros para a cura e para abordar como a saúde mental é profundamente afetada por desigualdades sistêmicas e traumas de opressão. Sua página do Instagram está repleta de conteúdo perspicaz, e ela costuma fazer parceria com mulheres negras da comunidade de bem-estar e saúde mental para workshops e discussões digitais.

Real para as pessoas

A idade é apenas um número - e isso é especialmente verdadeiro para a organização de saúde mental com base em associados Real to the People, que existe há apenas alguns meses. Fundado em março de 2020, o Real visa integrar facilmente a terapia em sua vida - afinal, suas ofertas são virtuais (via telemedicina) e gratuitas. Sim, você leu certo: Real primeiro ofereceu sessões de terapia gratuitas para lidar com a pandemia de COVID-19 e agora, como as tensões raciais continuam a aumentar em todo o país, sessões de apoio de grupo gratuitas onde os participantes são bem-vindos para "sofrer, sentir, conectar-se e processar o que eles estão passando. " (Relacionado: Kerry Washington e o ativista Kendrick Sampson falaram sobre a saúde mental na luta pela justiça racial)

Brown Girl Self Care

O fundador Bre Mitchell quer que as mulheres negras cuidem de si mesmas todos aos domingos porque, vamos encarar, a cura (especialmente de séculos de tratamento injusto e trauma) não é realmente eficaz se você apenas tiver me-time de vez em quando. Mitchell preencherá seu feed com conselhos tangíveis e lembretes de que cuidar de si mesmo não é indulgente, mas necessário para você prosperar. E Brown Girl Self Care não pára nas redes sociais: a organização também oferece IRL e oportunidades virtuais, como os workshops Self-Care x Sisterhood Zoom.

Terapeutas inclusivos

Seja você está procurando ativamente por um terapeuta ou simplesmente procurando um alimento cheio de poder, Terapeutas Inclusivos se encaixa no projeto. Basta dar uma olhada no Instagram da comunidade: sua grade está repleta de sabedoria relacionada à saúde mental, citações encorajadoras e perfis de profissionais de saúde mental (muitos dos quais oferecem teleterapia a preço reduzido). E as postagens deles não são a única maneira de encontrar os profissionais certos para você e seu orçamento. Você também pode pesquisar em seu diretório online e entrar em contato com os terapeutas diretamente ou enviar um formulário com detalhes como localização e preferências do médico e ser encontrado com alguns terapeutas em potencial por e-mail. (Relacionado: Como Encontrar o Melhor Terapeuta para Você)

The National Queer & Trans Therapists of Color Network

A National Queer and Trans Therapists of Color Network (NQTTCN) é um " heal Justice organization "que trabalha para transformar a saúde mental de pessoas queer e trans negros (QTPoC). Desde sua criação em 2016 pela psicoterapeuta Erica Woodland, a organização tem aumentado o acesso a recursos de saúde mental para QTPoC e construindo uma rede de profissionais especializados em trabalhar com QTPoC, que está disponível em seu diretório online. Você também pode aprender mais sobre profissionais qualificados e saúde mental acompanhando as postagens #TherapistThucted do NQTTCN no Instagram.

Ethel's Club

O lugar seguro

Ter um aplicativo ao seu alcance para usar quando estiver com raiva, tristeza, felicidade ou todas as opções acima é uma ferramenta que todos podem usar. O aplicativo Safe Place compartilha estatísticas sobre saúde mental negra, dicas de autocuidado, meditação e técnicas de respiração que você pode usar a qualquer hora e em qualquer lugar. (Veja também: Os melhores aplicativos de terapia e saúde mental)

The Nap Ministry

Existem poucas coisas na vida que realmente fazem você parar e pensar, e The Nap Ministry é um dos eles - pelo menos era para mim. Na maioria das vezes, os negros não conseguem pensar em descansar porque estamos muito ocupados trabalhando duro para ganhar patrimônio em um mundo que, infelizmente, não o tornou fácil. Veja a disparidade salarial contínua, por exemplo: as mulheres negras ganham 62 centavos para cada dólar ganho por um homem branco, de acordo com o U.S. Census Bureau. Então, dando um tempo para descansar? Bem, muitas vezes é uma reflexão tardia. É aí que entra o The Nap Ministry: a organização incentiva os homens e mulheres negros a examinar (e se alegrar) os "poderes libertadores" e a arte dos cochilos, especialmente porque o descanso pode ser considerado uma forma de resistência e é uma parte essencial da cura. Problemas para fazer uma pausa? Confira esta meditação guiada e não se esqueça de segui-los no Instagram para se manter atualizado sobre os workshops presenciais. (Por falar em pausa pressionada ... a fadiga da quarentena pode ser parcialmente culpada por sua exaustão e mudanças de humor.)

The Loveland Foundation

Em 2018, a escritora, palestrante e ativista Rachel Cargle organizou o que viria a ser uma arrecadação de fundos de aniversário de grande sucesso: Therapy for Black Women and Girls. Depois de levantar milhares de dólares para mulheres e meninas negras terem acesso à terapia, Cargle decidiu manter viva essa arrecadação de fundos e levar seus esforços filantrópicos ainda mais longe. Entrar: The Loveland Foundation. Por meio de parcerias com outras organizações de saúde mental, a Fundação Loveland pode fornecer assistência financeira a mulheres e meninas negras que buscam serviços de saúde mental em todo o país por meio de seu Fundo de Terapia. Parece interessante? Você pode se inscrever para as próximas coortes online.

As terapeutas negras

O Instagram das terapeutas negras é uma joia - seus 120 mil seguidores (e aumentando! ) são a prova. Não apenas seu AF estético acalma (e cheio de tons de rosa milenar para arrancar), mas seu conteúdo também está sempre no ponto. Confira a série "Vamos conversar sobre ...", na qual os praticantes negros oferecem sua perspectiva e conhecimento de especialistas em uma variedade de tópicos, desde PTSD até ansiedade. Embora não possam substituir a terapia real, essas conversas podem definitivamente fornecer alguns insights muito necessários sobre o que você ou um ente querido pode estar experimentando. Se você está em busca de um terapeuta, verifique seu diretório online de terapeutas negras. Você também pode dar uma olhada nas biografias apresentadas em suas páginas de mídia social. (Relacionado: Por que é tão difícil fazer sua primeira consulta terapêutica?)

The Unplug Collective

Quer ver um pouco de alegria negra e positividade corporal? Siga esta conta. Além de visuais edificantes, você pode contar com o The Unplug Collective para compartilhar vídeos IGTV autênticos, como "Why I Didn't Report", bem como outros que validam as experiências das mulheres negras. Acesse o site deles, uma plataforma onde mulheres negras e pardas e não binárias podem compartilhar suas histórias, ler sobre as experiências de vida sem censura da comunidade e enviar suas próprias histórias.

Sista Afya

The Black Emotional and Mental Health Collective (BEAM)

The Black Emotional and Mental Health Collective (BEAM) é composta por terapeutas, professores de ioga, advogados e ativistas com uma missão - quebrar as barreiras da cura negra. Eles fazem esse trabalho oferecendo eventos gratuitos, como meditações em grupo e oficinas de redação para aliviar o estresse e a ansiedade.

The Mental Wellness Collective

O assistente social Shevon Jones é o cérebro e o chefe por trás o Mental Wellness Collective, uma comunidade online que apóia a saúde mental de mulheres negras. Ela organiza mesas redondas de assistentes sociais (virtuais) gratuitas com defensores e profissionais da saúde mental Negros para discutir tópicos como lidar com traumas e dores e até oferece sessões de meditação de quinze minutos. Veja alguns dos replays aqui.

  • Por Bianca Lambert

Comentários (4)

*Estes comentários foram gerados por este site.

  • Iana Kalbusch
    Iana Kalbusch

    Cumpre o que prometi.

  • Glaúcia Grippa
    Glaúcia Grippa

    Nossa economizei e to muito feliz pois e muito bom tudo q é bom temos q falar

  • fátima drosda prust
    fátima drosda prust

    Sempre gostei

  • nércia n. böing
    nércia n. böing

    MUITO BOA MESMO

Deixe o seu comentário

Ótimo! Agradecemos você por dedicar parte do seu tempo para nos deixar um comentário.